Este artigo é sobre Tecnologia

IoT ou Internet das Coisas: inteligência que alavanca negócios

Qintess

Qintess

Publicado em
31 de Dezembro de 2021

Saiba tudo sobre a tecnologia que cada vez mais serve como ferramenta estratégica para as empresas

Com a evolução tecnológica das últimas décadas, muitos aparelhos do uso cotidiano foram atualizados para uma versão smart com o objetivo de facilitar nossas vidas. Objetos como eletrodomésticos, carros, lâmpadas e até babás eletrônicas transformaram-se em dispositivos inteligentes, graças à tecnologia IoT.

Com uma visão de facilitar tarefas diárias, a geladeira com internet pode avisar quando um alimento está perto de acabar e, ao mesmo tempo, pesquisar na web quais mercados oferecem os melhores preços daquele item.

A Internet das Coisas (Internet of Things, IoT em inglês) é o termo usado para descrever uma rede de "objetos físicos" que possuem sensores, software e outras tecnologias e que tem como objetivo conectar e trocar dados com outros dispositivos e sistemas pela internet.

A tecnologia IoT está presente em diversos aparelhos - de objetos domésticos comuns até ferramentas industriais de ponta. De acordo com estudo feito pela Mckinsey, é estimado que, até 2025, existam 35 bilhões de dispositivos conectados no mundo, incluindo smartphones e computadores.

Como a IoT funciona?

A conectividade de aparelhos smarts é feita por Wi-Fi ou até mesmo bluetooth, embora atualmente a tecnologia 5G e outros tipos de plataformas de rede sejam cada vez mais capazes de processar grandes conjuntos de dados com rapidez e confiabilidade.

Equipados com sensores, os dispositivos IoT capturam os dados que podem ver, ouvir ou até mesmo "sentir" no ambiente. Em seguida, compartilham esses dados e nós analisamos para obter informações e automatizar ações ou decisões. Esse processo é composto por quatro fases principais:

01. Captação de dados: por meio de sensores, os aparelhos com IoT capturam dados dos próprios ambientes. Esses dados podem ser simples como a temperatura ou complexos como um feed de vídeo em tempo real.

02. Compartilhamento de dados: usando conexões de rede disponíveis, dispositivos IoT tornam os dados acessíveis por nuvem pública ou privada, conforme direcionado.

03. Processamento de dados: aqui, o software está programado para fazer algo baseado nos dados – como ligar um ventilador ou enviar um alerta.

04. Atuar com base nos dados: os dados acumulados de todos os dispositivos de uma rede IoT são analisados, fornecendo insights poderosos para definição de ações e decisões de negócios seguras.

Principais benefícios da IoT para as empresas

As organizações que usam IoT, baseadas nas quatro etapas listadas acima, são capazes de melhorar processos em todos os setores empresariais, desde a manufatura e logística até o marketing e vendas. Isso porque os dispositivos inteligentes da IoT são capazes de:

  • Coletar dados sobre seu próprio funcionamento ou o ambiente a sua volta; e
  • Receber novas informações e agir de forma mais alinhada aos objetivos do negócio.

Portanto, o que a IoT faz para os negócios é maximizar a visão da operação para as equipes gestoras, permitindo encontrar oportunidades para:

  1. Automatizar processos;
  2. Aumentar a produtividade; e
  3. Reduzir custos.

Isso faz da IoT um recurso indispensável no processo de Transformação Digital das empresas, tornando operações mais ágeis, econômicas e conectadas. Tudo isso é possível de forma simples, basta criar esses dispositivos que se conectam à internet e implementá-los na operação.

Mas o que exatamente muda com a Internet das Coisas? Entenda agora qual o ganho estratégico para os negócios.

Por que implementar IoT nos negócios?

O que a IoT oferece de mais valioso para as empresas, portanto, é a inteligência. Ela permite tomar decisões com base nos dados, que são gerados em tempo real pelos dispositivos IoT.

Dessa forma, é possível antecipar eventuais falhas em processos, sistemas ou equipamentos. Ao mesmo tempo, também é possível identificar oportunidades de negócio ao analisar, por exemplo, os dados de consumo de um produto.

Prevendo falhas e antecipando manutenções com IoT

Imagine que uma empresa de energia precisa gerenciar milhares de postes de luz e sistemas elétricos de uma cidade inteira. Como ela faria para identificar que uma lâmpada queimou e os moradores da região ficaram sem iluminação adequada?

Utilizando dispositivos IoT, resolver esse problema fica muito simples. Porque rapidamente é possível identificar falhas de funcionamento nos equipamentos e acionar a equipe de manutenção. Inclusive, ao identificar padrões de funcionamento da lâmpada, é possível prever a necessidade de trocá-la antes mesmo que a falha aconteça e a região fique sem iluminação.

Esses processos, inclusive, podem ser automatizados. Sempre que algum tipo de falha for percebido, uma ação X ou Y poderá ser posta em andamento.

Perceba o potencial disso quando falamos em Customer Experience (CX). A qualidade do produto ou serviço entregue aos consumidores será muito maior, e as chances do cliente se frustrar com o atendimento serão muito menores. Afinal, a IoT ajuda a prever as falhas, antes mesmo que elas ocorram e isso pode ser usado em favor da experiência do cliente.

Identificando oportunidades de negócio com IoT

De forma semelhante, é possível descobrir novos insights de negócio ao monitorar dados sobre seus produtos, serviços ou aplicativos.

E falando mais uma vez em CX, é sempre muito difícil prever como os consumidores vão utilizar um produto antes do seu lançamento.

Quer um exemplo clássico? O YouTube, antes de se tornar a maior plataforma de armazenamento e compartilhamento de vídeos, foi um serviço de vídeo para namoro online. Entretanto, ao analisarem os padrões de comportamento dos usuários, os líderes do YouTube foram espertos o suficiente para mudarem o rumo dos negócios e, assim, atender uma demanda mais quente do mercado.

É justamente por isso que melhorar a capacidade de compreensão sobre o produto é indispensável para qualquer negócio. Nesse sentido, a IoT ajuda a analisar padrões de comportamento do consumidor em relação a um produto, orientando líderes de negócio a:

  1. Melhorar e adaptar a experiência do consumidor;
  2. Identificar novas demandas de consumo;
  3. Gerar novos modelos de negócio e fluxos de receita;
  4. Preparar a operação para o processo de pivotagem.

Dessa forma, a IoT é essencial para empresas avaliarem seus rumos e mudarem completamente de direção, caso apareçam caminhos mais vantajosos para os negócios.

Quais setores estão se beneficiando da IoT?

Hoje em dia, todas as organizações podem tirar proveito da IoT para os negócios. Mas aquelas que mais vão se beneficiar são aquelas que utilizam dispositivos sensores em momentos chave da operação.

Veja os principais setores que extraem vantagens dos dispositivos IoT:

  • Indústria de Manufatura: ao utilizar um sistema de monitoramento da linha de produção o processo de manutenção dos equipamentos se torna proativo.
  • Logística de Transportes: frotas de veículos de carga podem ser otimizadas de acordo com a rota, demanda ou disponibilidade com ajuda do sistema de comunicação proporcionado pela IoT.
  • Varejo: as aplicações de IoT permitem às empresas varejistas monitorarem o estoque e otimizar o gerenciamento de gôndolas de forma estratégica, para evitar rupturas de estoque.
  • Serviços Públicos: os aplicativos de IoT podem ser utilizados para alertar a população quanto a paralisações de serviços de transporte, rodovias interditadas ou até mesmo em questões de vacinação contra a COVID-19.

Como você deve estar percebendo, IoT é uma tendência que chegou para ficar por um longo tempo. Por isso, veja a seguir o que esperar em termos de inovação para essa área.

As 10 principais tendências de IoT para os próximos anos

Recentemente, o Gartner destacou as principais tendências estratégicas para o ramo da IoT - tendências essas que deverão impulsionar a inovação dos negócios digitais até 2023.

De acordo com Nick Jones, vice-presidente de pesquisas do Gartner, “a IoT continuará a oferecer novas oportunidades de inovação nos negócios digitais para a próxima década, muitas das quais serão possibilitadas por tecnologias novas ou aprimoradas. Os CIOs que dominarem as tendências inovadoras da IoT terão a oportunidade de liderar a inovação digital em suas empresas”.

Confira, abaixo, as principais tendências em IoT eleitas pelo Gartner:

1) Inteligência Artificial

O cenário tecnológico da IA é complexo e continuará assim até 2023, com muitos fornecedores de TI investindo pesadamente em IA, surgindo variantes de coexistência de IA e novos serviços e licenças baseadas em IA. Apesar dessa complexidade, será possível obter bons resultados com IA em uma ampla gama de situações de IoT.

2) IoT social, legal e ética

À medida que a IoT amadurecer e se tornar mais amplamente implantada, uma ampla gama de questões sociais, legais e éticas crescerá em importância. Estas questões incluem a propriedade dos dados e as deduções feitas a partir deles, tendência algorítmica, privacidade e conformidade com regulamentos, como o Regulamento Geral de Proteção de Dados.

3) Infonomics

O Gartner mostrou, ano passado, que 35% dos entrevistados estavam vendendo ou planejando vender dados coletados por seus produtos e serviços. A teoria da infonomics leva essa monetização de dados ainda mais adiante, vendo-a como um ativo comercial estratégico a ser registrado nas contas da empresa. Até 2023, a compra e venda de dados da IoT tornar-se-ão parte essencial de muitos sistemas de IoT.

4) Inteligência de ponta para malha inteligente

A mudança de arquiteturas centralizadas e de nuvem para arquiteturas de ponta está em andamento no espaço da IoT. No entanto, esse não é o ponto final, pois o conjunto de camadas associadas à arquitetura de ponta evoluirá para uma arquitetura mais desestruturada, composta por uma ampla variedade de “coisas” e serviços conectados em uma malha dinâmica. Essas arquiteturas de malha permitirão sistemas de IoT mais flexíveis, inteligentes e responsivos, embora muitas vezes à custa de complexidades adicionais.

5) Governança de IoT

À medida que a IoT continuar a se expandir, a necessidade de uma estrutura de governança que garanta o comportamento apropriado na criação, armazenamento, uso e exclusão de informações relacionadas a projetos de IoT se tornará cada vez mais importante. A governança abrange desde tarefas técnicas simples, como auditorias de dispositivos e atualizações de firmware, até problemas mais complexos, como o controle de dispositivos e o uso das informações geradas por eles.

6) Inovação de sensores

O mercado de sensores evoluirá continuamente até 2023. Novos sensores permitirão que uma gama mais ampla de situações e eventos sejam detectados, os sensores atuais cairão de preço para se tornar mais acessíveis ou serão embalados de novas maneiras para suportar novos aplicativos e novos algoritmos surgirão para deduzir mais informações das tecnologias de sensores atuais. 

7) Hardware confiável e sistema operacional

As pesquisas da Gartner mostram que a segurança é a área mais significativa de preocupação técnica para as organizações que implantam sistemas IoT. Isso é porque as organizações geralmente não têm controle sobre a origem e a natureza do software e do hardware que estão sendo utilizados nas iniciativas de IoT. Até 2023, espera-se ver a implantação de combinações de hardware e software que, juntas, criarão sistemas IoT mais confiáveis e seguros.

8) Novas experiências do usuário

A experiência dos usuários (UX) de IoT abrange uma ampla gama de tecnologias e técnicas de design. Elas serão impulsionadas por quatro fatores: novos sensores, novos algoritmos, novas arquiteturas de experiência e contexto e experiências socialmente conscientes. Com um número crescente de interações que ocorrem com coisas que não têm telas e teclados, os designers de UX das organizações serão obrigados a usar novas tecnologias e adotar novas perspectivas, se quiserem criar uma UX superior que reduza o atrito, bloqueie os usuários e incentive o uso e a retenção.

9) Chips de silício

Até 2023, espera-se que novos chips de finalidade especial reduzam o consumo de energia necessária para executar uma DNN, permitindo novas arquiteturas de ponta e funções DNN incorporadas a terminais de IoT de baixa potência. Isso suportará novos recursos, como análise de dados integrada a sensores e reconhecimento de fala, incluídos em dispositivos de baixo custo movidos a bateria.

10) Novas tecnologias de rede sem fio para IoT

As redes de IoT envolvem equilibrar um conjunto de requisitos concorrentes, como custo de terminais, consumo de energia, largura de banda, latência, densidade de conexão, custo operacional, qualidade de serviço e alcance. Nenhuma tecnologia de rede otimiza tudo isso e as novas tecnologias de rede da IoT fornecerão mais opções e flexibilidade aos CIOs. Em particular, eles deverão explorar o 5G, a próxima geração de satélites de baixa órbita terrestre e redes de retrodispersão.

Conte com a Qintess para a sua estratégia em IoT!

Qintess possui diversas soluções que podem contribuir com o futuro do IoT no Brasil, como Agile Automation, Analytics, Artificial Intelligence e Decision ScienceClique aqui e conheça nosso portfólio completo de tecnologias e serviços.

Este artigo é sobre Tecnologia

Fale conosco

Entre em contato conosco e saiba como podemos apoiar a sua empresa no caminho rumo à transformação digital

manage cookies